Jump to content
Search In
  • More options...
Find results that contain...
Find results in...

Ranzinzo

Testers
  • Content Count

    58
  • Joined

  • Last visited

Everything posted by Ranzinzo

  1. I really want to buy the Collector's Edition at the store, mainly because of the miniatures. But I also really don't have the money to do so right now. I was wondering if the product will be taken away from the store at some point or I can just relax and wait until I can afford it. Sorry if this has already been asked, couldn't find the answer on the forums.
  2. Just thinking how cool would be to have a world-sized Hunger Dome at the time of a campaign ending. The idea is, when the world's timer hit zero, a giant dome of death would appear and slowly shrink, until it hits it's center in a POI somewhere near the center of the map. At that point, players can't log in that world any more, if you want to try and survive the dome, you must be on the server already. Also, once you die there is no second chance, you are off from that campaign. As the dome gets smaller, players have to race to it's center and try to be the last man standing. The last player alive would win some sort of prize like a World Thrall, a ghost of the living essence of that planet. And he could use this super Thrall to do some cool stuff like upgrading his EK or pleasing his chosen god by giving him a little piece of that world that the player could save. Don't know of this has been posted already, sorry if it has.
  3. Feito! Galera, postei a última atualização dos candidatos na página da guilda. Última chance: quem ainda quiser se candidatar ou alterar a candidatura me avisem! Como sempre, CONFIRAM a página pra não haver reclamações depois.
  4. Atualização da relação de candidatos aos cargos da guilda. Coloquei mesmo os membros que não querem ser líderes, mas querem fazer parte de certa casa para que saibamos os interesses de cada um. Como sempre, se eu pulei alguém por favor me avisem. Até agora temos: -Master Commander (exército): Lucas Rodrigues (Carrasco Maldito) Kalawatis -Master of Coin (tesouro): Finnelhir Treco -Master of Whisperers (diplomacia): Ranbouk Douglas Kim Vaands -Master of Resources (recursos): JotaR Ranzinzo -Master Judge (tribunal): Baska
  5. Fala Kimmykun. Faz um currículo seu com os padrões que a galera tá postando aqui. Eu estou colocando todos em uma postagem principal pra fins de organização.
  6. Show coloca aí seu currículo pra eu atualizar o post com os candidatos Eu sempre copiei e colei, achei que todo mundo fazia isso hahahahaha Vocês já têm uma ideia do que querem colocar nas colunas laterais do site? Quando o Treco criou a espada em chamas da guilda tava se repetindo, e olhando aquilo me fez pensar que talvez ficassem legais umas tochas com fogo-vivo "iluminando" a página. Se quiserem eu faço no mesmo estilo da nossa espada.
  7. Quanto ao RP, acho que a melhor forma de fazer é de leve. Ninguém precisa interpretar enquanto joga ou conversa, mas curto dar uns toques de fantasia e medievalismo em comunicados ou qualquer outro texto oficial. Se após uma campanha alguém pudesse escrever uma narrativa contanto a história da guilda naquela campanha também ia ser maravilhoso. Uma outra coisa que eu acharia legal é o concedimento de títulos, não de nobreza, mas títulos de fama. Quando um membro conhecido da guilda fizesse algo digno de ser considerado épico, ou se tornasse famoso o bastante para ser um ícone dentro da guilda, ele ganha um título. Por exemplo: Treco conseguiu assegurar um castelo da guilda que sofria um cerco que todos consideravam perdido. Então ele passaria a ser conhecido como Treco, Keeper of the Wall. Ou Akalawatis é tão bom em dar boas-vindas a jogadores novos, e ensina-os bem o suficiente para torná-los bons jogadores em pouco tempo, sendo chamado agora de Akalawatis, the Hero Maker. Talvez deva ser responsabilidade do conselho dar esses títulos, ainda não sei, mas eu acho que dá um sensação medieval muito benéfica para o espírito do jogo. De novo, ninguém é obrigado a usar títulos nas conversas, mas ver um título após um nome em um comunicado da guilda ia ser o máximo para o dono do título, e para os outros que gostariam de ter um. Quanto aos cargos, sou a favor de usarmos os já fornecidos pelo jogo para simplificar as coisas. O líder de cada casa deve ter o maior título nela, e a ordem de hierarquia continua, com cada cargo tendo poder sobre o inferior. Além de facilitar o entendimento para membros novos, vai ser uma ótima forma de regular e controlar a quantidade de membros da guilda, já que no jogo poderemos ver cada personagem e seu título. Eu pessoalmente tava pensando em me candidatar pro cargo de Master of Resources até que vi você colocar seu currículo. Fiquei contente porque seu pledge é bem mais alto que o meu e caso um subEK particular para a casa fosse feito, ele já começaria bem. Peço que reconsidere essa decisão, e saiba que caso deseje ser líder, minha espada (ou melhor, pá, já que pretendo ser guinecean) estará a seu serviço.
  8. Atualização da relação de candidatos aos cargos da guilda. Coloquei mesmo os membros que não querem ser líderes, mas querem fazer parte de certa casa para que saibamos os interesses de cada um. Como sempre, se eu pulei alguém por favor me avisem. @JotaR , me lembro que você tinha se candidatado a Master of Resources, mas não acho o currículo. Você retirou sua candidatura? @BaSkA , mudei sua candidatura como requisitado. Até agora temos: -Master Commander (exército): Lucas Rodrigues (Carrasco Maldito) -Master of Coin (tesouro): Finnelhir Treco -Master of Whisperers (diplomacia): Ranbouk Douglas Kim Vaands -Master of Resources (recursos): -Master Judge (tribunal): Baska EDIT: typo
  9. Concordo com o Rabouk quanto à casa da espionagem, isso pra mim se enquadra na jurisdição da diplomacia. Quanto ao jogo sujo, Tyrion uma vez disse: Eddard Stark era um homem honrado e agora ele está morto. Sou completamente a favpr do jogo sujo, das mentiras, da manipulação e traição desde que façamos direito.
  10. Quando eu imaginei o conselho pela primeira vez eu tinha pensado nisso: um grupo de poder que não está relacionado com as outras casas. Mas como você mesmo disse isso tudo vai mudar no decorrer do tempo. Quando tivermos mais pessoas e os cargos estiverem dando muito trabalho a gente pode separar as coisas, mas por enquanto não deve ser um problema. Se o pessoal preferir (e não for gerar muito trabalho pra um grupo só) dá pra juntar o Tribunal e a Embaixada numa casa só. Separei os dois principalmente porque precisávamos de um número ímpar pra evitar empates em votações hahahaha. Se alguém pensar em uma outra função importante a gente troca, ou simplesmente tiramos e fazemos o voto do líder da guilda valer por dois dentro do conselho (totalizando 5 votos). Não é tão injusto assim ele ganhar essa regalia por ser líder. O que vocês acham?
  11. Concordo com o Baska nos nomes. O jogo já nos deu um sistema hierárquico, então vamos usá-lo, oras. Os senhores das casas terão os maiores títulos nos seus respectivos reinos (se cada um preferir ter o seu (o principal ainda seria o do Master of Coin)) e darão títulos aos subordinados como bem entenderem. Fiz esse esqueminha pra tentar organizar um pouco como está ficando esse esquema das casas e dos senhores e do conselho. Vamos construindo nossa guilda tijolo por tijolo o/
  12. Os 5 mestres são o conselho, e entre eles seria eleito o líder oficial, como a galera sugeriu antes mesmo da guilda ter nome. Vou fazer um esqueminha simples e postar aqui assim que der. Aí todo mundo pode entender melhor e opinar. EDIT: a princípio eu também pensava que sim. Mas sem uma casa responsável pela coleta, quem faria isso? Se for o Mestre da Moeda, ele vai querer colocar o máximo possível no embargo pra expandir o EK da guilda. Se for o Mestre Comandante ele vai querer usar o máximo possível para construir dentro das campanhas e ganhar território. Pra não ficar um bate cabeça, e como precisava de mais uma casa pra dar ímpar XD pensei nessa solução, criar uma casa dedicada à localização, coleta e distribuição de recursos. O Mestre dos Recursos só tem poder dentro da campanha, e de quebra livra as outras casas de ficar se preocupando com a coleta de recursos e se concentrar em suas tarefas Verdade hahahaha
  13. Esse post é para mantermos controle dos candidatos a cada cargo. Podem ir se candidatando com seus currículos que eu vou atualizando e repostando regularmente, assim nos organizamos com maior facilidade (se eu pular alguém me deem um toque por favor). Até agora temos: -Master Commander (exército): Lucas Rodrigues (Carrasco Maldito) -Master of Coin (tesouro): Finnelhir -Master of Whisperers (diplomacia): Baska -Master of Resources (recursos): -Master Judge (tribunal):
  14. Lembrando que o fato de você pertencer a uma casa não faz com que você não possa trabalhar para outra. Afinal qualquer que seja meu cargo, eu ainda vou querer quebrar o pau nas campanhas. Cada um pode ser líder somente em uma casa, mas nada impede ter cargos menos importantes nas outras (ainda mais agora pra suprir a falta de pessoas) E já que nossa guilda é brasileira:
  15. Fala gente, quanta coisa em uma tarde XD Então, eu tava pensando em como manter o Conselho com 5 membros decididos no início to tópico como foi lembrado pelo Treco e também manter a divisão de setores que muita gente está apoiando. Aqui vão as 5 partes que pra mim são as mais importantes na guilda: Tesouro: o setor da economia. Tribunal: o setor da ordem e da justiça. Exército: o setor das lutas nas campanhas e torneios. Diplomacia: o setor que nos fará ter contato com outras guildas. Exploração: o setor responsável por adquirir recursos nas campanhas. O Conselho de 5 seria composto por cada líder de cada facção, e entre eles seria votado o líder. O líder é a cara da guilda, mas não governa sozinho. Kalawatis falou que temos pouca gente e eu concordo, mas os setores do tribunal e da diplomacia requerem pouquíssimos jogadores para funcionar, e são essenciais para manter a estabilidade interna e externa da guilda. Já o exército e a exploração pedem muito mais jogadores para conseguirmos crescer dentro do jogo. Sim, o tribunal realmente quase não será usado enquanto formos poucos, mas se para cada jogador desviando recursos, sendo racistas, matando membros de guildas aliadas, não se comportando nas batalhas, fazendo itens que lhe disseram para não fazer ou qualquer outra coisa, se para cada vez que isso acontecer formos levar o caso ao conselho, tadinho do conselho. Uma ou duas pessoas podem dar conta desse trabalho fácil fácil e poupar muita dor de cabeça.
  16. A única vantagem que os que deram pledge alto têm são as terras vastas, essenciais para um EK da guilda, o que não necessariamente tem a ver com liderança. Óbvio que isso não deve ser um fator definitivo, mas que seja pelo menos considerado na hora de escolher quem será o dono do EK principal. Não acho necessário escolher um líder do conselho. Ainda faltam meses pro alpha, e até lá as decisões serão feitas na "democracia" de qualquer jeito (entre aspas porque nem todo mundo do fórum tá ativo). Vamos ficar um tempão aqui debatendo e escolher um líder que talvez não queira mais ser líder daqui a um tempo. Melhor seria cada um apresentar aqui o que mais lhe interessa dentro do jogo. Construir o reino, fazer itens, quebrar o pau nas batalhas ou explorar o mapa. Pelo que vi ninguém aqui quer ser líder, mas todo mundo quer seguir um certo caminho. Ao invés de um líder do conselho, que seja só o conselho, com um número ímpar de membros e decisões tomadas por votação. Bem-vindo Ranbouk!
  17. Pô cara, essa imagem foi feita por um profissional, não dá pra competir hahahahaha. A original é bem fácil de achar no google e tá com uma resolução boa, então dá pra reaproveitar bastante. Ainda assim vou tentar de tempos em tempos melhorar e detalhar o outro banner. Escolher um líder só para a guilda toda vai ser meio problemático porque ninguém vai querer assumir essa responsabilidade hahahahahaha. Minha proposta é dividir a guilda em setores, e cada um pega o que sentir melhor comodidade. Assim ninguém carrega o fardo sozinho. Na minha opinião as principais categorias são: -Economia: o líder econômico seria o dono do EK principal da guilda, onde o comércio iria se concentrar. Ele é responsável por administrar os crafters, as taxas, enfim, o tesoureiro da guilda. -Militarismo: o líder militar é o comandante das campanhas. Ele designa os oficiais de cada campanha, determina onde e quando atacar e diz que tipo de personagem a guilda está precisando. -Direito: o líder judiciário faz valer as regras. Ele julga atos ilícitos na guilda e quaisquer divergências entre os outros setores, e por serem um setor próprio são (ou pelo menos deveriam ser) imparciais. -O Conselho: Pedro II tinha o poder moderador, aqui temos o conselho. Formado por um punhado de veteranos da guilda escolhidos a dedo, o conselho só entra em ação quando a situação está crítica e os outros setores não conseguem resolver. Eles são onipotentes e inquestionáveis na guilda, existindo apenas para situações de crise. Dividir o poder não só torna tudo mais fácil pros chefões como dificulta a imposição de regras por parte de uma minoria. Isso também acaba agilizando a tomada de decisões, já que votar tudo democraticamente demoraria demais em algumas situações. Lembrando que cada líder pode designar cargos para outros jogadores, e atribuir-lhes parte de suas tarefas. O líder econômico, por exemplo, poderia designar um "ministro do comércio" cuja função seria orientar os crafters da guilda para que tenhamos a maior variedade possível de itens produzidos, ao invés de todos fabricarem a mesma coisa. Falando nisso, acho divertido manter a temática na nomeação dos cargos. Os produtores nos deram um sistema de nobreza de acordo com a quantidade de terras possuídas, e deveríamos mantê-lo nas nomeações internas só pra dar um clima legal.
  18. Falando nisso... A pedidos eu mudei a lâmina, separei 'Wild' de 'Fire', fiz um pequeno enfeite no 'Wild' e a meu próprio pedido eu mudei o fogo da espada. Espero que tenham gostado. Já que é pra consolidar a guilda, acho válido criar um novo tópico com nosso nome e começar a usar o banner (mesmo que ainda achem que precisa mudar algo). Escolher líderes é realmente importante, mas a meu ver como o jogo ainda nem começou e a guilda está pequena, não acredito que precisamos decidir essas coisas com urgência. Temos que lembrar que o reino principal da guilda será no EK do líder ou de um dos líderes, então essa pessoa tem que estar disposta a se dedicar. É importante conhecermos o jogo e sabermos exatamente quais funções cada um está disposto a cumprir dentro da Irmandade.
  19. PARA TUDOOOOOOOOOOOOOO Não é por ser maníaco ou pagar sem ver. É como investir no mercado de ações. Você precisa analisar o produto e o fabricante, pensar se aquilo te agrada e tem chances de dar certo. A ArtCraft conquistou a confiança dos gamers e recebeu o apoio em troca.
  20. 50% é um número alto demais. Os criadores já deixaram claro que o foco do jogo serão as campanhas. Para fazer quase qualquer coisa nos EKs é preciso antes participar delas e coletar recursos. Muita gente, inclusive, estava com medo do EK ser totalmente dispensável e acabasse sendo ignorado pela maioria. A melhor parte é a proporção que os reinos podem alcançar. Com tempo e esforço eles podem ser tão grandes como um mapa de campanha e abrigar tantos jogadores quanto. Seria como juntar todas as guarnições de uma guilda inteira de WoW no mesmo mapa. Com gente e território suficiente as pessoas vão esquecer que eles são stanceados, vão se sentir em um mapa normal de MMORPG, só que o mapa inteiro será construído e controlado por jogadores. Será possível levar itens feitos nos EKs para as campanhas, dependendo da campanha. Algumas terão um certo limite e outras permitirão que os jogadores já cheguem armados até os dentes, vai depender do tipo de jogo que a pessoa está procurando. Sem contar os artefatos e relíquias que darão bônus de status durante as campanhas, mais um motivo pra se ter ou fazer parte de um Reino Eterno.
  21. Nem um nem outro. Não dá pra enxergar outros EKs do seu. Os Reinos Eternos são pessoais e existem em sua própria dimensão. Aqueles quadrados das imagens são as terras que você precisa adquirir para colocar no seu mundo. Não é nada como TMQFEL. Eles nunca disseram que os EKs iam ser todos no mesmo mundo, na verdade eles são exatamente o que os desenvolvedores disseram. Não sei se adianta muito você ignorar os updates pra manter a pledge. Porque se o jogo não for pra um caminho que te agrada você vai estar colocando dinheiro em um jogo que não vai jogar.
×
×
  • Create New...