Jump to content
Search In
  • More options...
Find results that contain...
Find results in...
Merovatis

Wildfire Brotherhood - Wb (Brazilian Guild / Guilda Brasileira) [Brazil / Brasil]

Recommended Posts

E ai galera blz ? Entao, como todo mundo ta fazendo uma apresentação tb vou escrever alguma coisa hahaha.

Nome/Nick: akalawatis (as vezes Kalawatis porem meu irmão foi mais rápido haha)

Idade: 19

Experiencia: Bom acho q são entre 8 a 9 anos de experiencia em jogos de consoles, cartas e mmo.Vou falar os q eu lembro aqui, joguei ragnarok online(level up e private), grandchase,PW,RF Online,GW,GW2,Wildstar,TESO,Cabal online,Diablo 3,Dota,Dota2, LOL, pelo q eu me lembre foram esses fora RPG(d&d), Magic e fora os FPS q eu curto bastante. Essa eh minha experiencia em MMO, na medida do possível vou ajuda-los a construir uma grande comunidade brasileira no jogo então eh isso pessoal, vamos resgatar todos os antigos membros do outro tópico q agr vai essa guild.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Fala galera to aqui de volta!

 

Deixa só eu entender (alguém me corrige se eu estiver errado):

 

Temos o conselho dos 5

 

Guild Leader

 

Master of Coin

 

Lord Commander

 

Master of Whispers

 

Master of Law

 

Master of Resources

 

 

Esses são o conselho ou o conselho é um grupo a parte do mestres das casas?

 

Será que alguém pode esquematizar todo o organograma da guilda? Coisa simples... Só pra entender mesmo.

 

 

EDIT: o Master of Resources não faz a mesma coisa que o Master of Coin?

 

Os 5 mestres são o conselho, e entre eles seria eleito o líder oficial, como a galera sugeriu antes mesmo da guilda ter nome. Vou fazer um esqueminha simples e postar aqui assim que der. Aí todo mundo pode entender melhor e opinar.

 

EDIT: a princípio eu também pensava que sim. Mas sem uma casa responsável pela coleta, quem faria isso? Se for o Mestre da Moeda, ele vai querer colocar o máximo possível no embargo pra expandir o EK da guilda. Se for o Mestre Comandante ele vai querer usar o máximo possível para construir dentro das campanhas e ganhar território. Pra não ficar um bate cabeça, e como precisava de mais uma casa pra dar ímpar XD pensei nessa solução, criar uma casa dedicada à localização, coleta e distribuição de recursos. O Mestre dos Recursos só tem poder dentro da campanha, e de quebra livra as outras casas de ficar se preocupando com a coleta de recursos e se concentrar em suas tarefas :)

 

Pessoal, só uma curiosidade. A assinatura de alguns de vcs está direcionando para o tópico antigo. B)

 

Verdade hahahaha

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pessoal, só uma curiosidade. A assinatura de alguns de vcs está direcionando para o tópico antigo. B)

 

FUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU!!!!

[url=http://community.crowfall.com/index.php?/topic/5328-wildfire-brotherhood-wb-brazilian-guild-guilda-brasileira-brazil-brasil][img=http://i.imgur.com/alGxc9C.png]
[b]Guild PT/BR[/b][/url][/center]
Para quem quiser, essa é minha assinatura. Agora o link é para o novo, e correto, tópico. Valeu @hilkmkz, missed u.

 

Nome/Nick: akalawatis (as vezes Kalawatis porem meu irmão foi mais rápido haha)

EUJHAUHEAUHEAUHEAHEHAEUHAUEHA agora entendi :D. Na hora de escolher o nick do personagem the treta has been planted.

 

Fala galera to aqui de volta!

 

Deixa só eu entender (alguém me corrige se eu estiver errado):

 

Temos o Conselho dos 5

Guild Leader

Master of Coin

Lord Commander

Master of Whisperers

Master of Law

Master of Resources

 

Esses são o conselho ou o conselho é um grupo a parte do mestres das casas?

 

Será que alguém pode esquematizar todo o organograma da guilda? Coisa simples... Só pra entender mesmo.

Com o decorrer do jogo, acho que isso vai ficar mais claro e as coisas podem mudar. Mas, de início, o meu entendimento, não sei se o mesmo do resto do pessoal, é o seguinte:

 

Conselho com 5 membros, "atualmente", os cinco(+-) iniciais do tópico original, mas tem um pessoal que foi abduzido e já tá com a foto de desaparecido no cartaz do busão, vamos aguardar voltarem à vida pois todos são importantes membros do bando.

Essas pessoas são responsáveis por decisões que podem, ou não, envolver os Senhores (os Masters e o Lord. Tô usando essa nomenclatura para entrar no clima e lore do jogo e significado do nome da guild). Algum Senhor está com alguma ideia e quer propor para a guild, vai envolver bastante gente e recurso. Passa para o Conselho para que seja decidido, de forma interna ou envolvendo toda a guild. Acho que um Senhor pode fazer parte do Conselho, não vejo muitos problemas, afinal de contas, ninguém vai expulsar ninguém da guild por causa de briguinha por ser um Senhor e um membro do Conselho e ter muito poder. Tudo vai ser organizado e terá regras para todas as situações possíveis - ou à medida que nos depararmos com elas.

 

O Guild Leader ou Líder do Conselho, é uma pessoa que age como o porta-voz do Conselho, comunicando decisões, escutando reclamações dos Cavaleiros e outros Nobres, etc.

 

Cada Senhor (ou Mestre da Casa) com sua respectiva responsabilidade e poder de decisão em certas ocasiões.

 

Vejam que isso é só um esboço. O Conselho poderia, por exemplo, ser formado só pelos Senhores que atualmente são 5 cargos. Mas não acho ideal impedir alguém de fazer parte do Conselho sem ser um Senhor ou vice-versa.

 

Outro detalhe são os nomes dos cargos e "nobrezas". Lordes, Senhores, Mestres, Cavaleiros, Nobres, Vassalos, Pé rapado... eu por mim usaria nomes em inglês pra ficar mais chique e menos esquisito (IMHO).

 

Se acharem uma boa ideia, converso com os nossos talentosos designers e artistas para fazer algo desse naipe:

 

9097v5.jpg

 

Que sirva para a nossa guild. O único problema é, realmente, a falta de informação a respeito do jogo em si. Se dentro da guild será possível dar titles para as pessoas, assim como em vários MMOs existe. Se vai haver a necessidade de tantos cargos de Senhores (talvez 5 seja redundante, 3 ser suficiente. Não me refiro ao Conselho aqui).

 

De qualquer maneira, eu acho isso aqui bacana:

 

Nomes de ranks/patentes/nobreza da WB:

 

 

Membro do Conselho ~> Counselor, Adviser, Mentor ou Council Member (http://awoiaf.westeros.org/index.php/Small_council)

Guild Leader ~> Lead ______, sendo o ____ o nome escolhido acima.

Master of Coin/Whisperers/Law/Resources & Lord Commander ~> Lords, Dukes, Baron, Prince, Earl/Jarl, Ealdorman (Crônicas Saxônicas FTW!)

Cavaleiro ~> Knight, Sir

Recém chegado, pé rapado ~> Esquire

 

 

 

Se vocês acharem que "americanizar" até os "títulos de nobreza" ou nobility da guild é exagero, me contento com os nomes em português, afinal de contas, somos todos da Huelândia ou da Semi-Huetugalândia.

 

Independente, é importante ter uma hierarquia pela questão de um pseudo-poder ou pseudo-respeito entre os membros, para organizar melhor as coisas e para, novamente, entrar no clima/lore do jogo/nome da guild.

Edited by BaSkA

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vejam que isso é só um esboço. O Conselho poderia, por exemplo, ser formado só pelos Senhores que atualmente são 5 cargos. Mas não acho ideal impedir alguém de fazer parte do Conselho sem ser um Senhor ou vice-versa.

Outro detalhe são os nomes dos cargos e "nobrezas". Lordes, Senhores, Mestres, Cavaleiros, Nobres, Vassalos, Pé rapado... eu por mim usaria nomes em inglês pra ficar mais chique e menos esquisito (IMHO).

 

Se vocês acharem que "americanizar" até os "títulos de nobreza" ou nobility da guild é exagero, me contento com os nomes em português, afinal de contas, somos todos da Huelândia ou da Semi-Huetugalândia.

 

Independente, é importante ter uma hierarquia pela questão de um pseudo-poder ou pseudo-respeito entre os membros, para organizar melhor as coisas e para, novamente, entrar no clima/lore do jogo/nome da guild.

 

 

Concordo com o Baska nos nomes. O jogo já nos deu um sistema hierárquico, então vamos usá-lo, oras. Os senhores das casas terão os maiores títulos nos seus respectivos reinos (se cada um preferir ter o seu (o principal ainda seria o do Master of Coin)) e darão títulos aos subordinados como bem entenderem.

 

Fiz esse esqueminha pra tentar organizar um pouco como está ficando esse esquema das casas e dos senhores e do conselho. Vamos construindo nossa guilda tijolo por tijolo o/

 

Untitled-1-01.png

Share this post


Link to post
Share on other sites

Concordo com o Baska nos nomes. O jogo já nos deu um sistema hierárquico, então vamos usá-lo, oras. Os senhores das casas terão os maiores títulos nos seus respectivos reinos (se cada um preferir ter o seu (o principal ainda seria o do Master of Coin)) e darão títulos aos subordinados como bem entenderem.

 

Fiz esse esqueminha pra tentar organizar um pouco como está ficando esse esquema das casas e dos senhores e do conselho. Vamos construindo nossa guilda tijolo por tijolo o/

 

Untitled-1-01.png

Excelente!

 

Conforme falei no meu post anterior, não sei se concordo exatamente com o fato de todos os Senhores/Lords (temos que escolher esses nomes asap) fazerem, automaticamente, parte do Conselho. Vamos pensar e ponderar direito isso. Vejo pontos negativos e positivos mas, principalmente, acho que, num futuro em que a guild tenha mais de 50, 60 membros, vai ser trabalho de mais, por exemplo, para um cara cuidar de toda a parte do craft, ainda dar uma moral no conselho, ajudando em questões não relacionadas ao seu ofício e tendo que falar o que fazer para 5, 10 pessoas diferentes. Não sei.

 

Em relação à explicação de cada Mestre/Master/Baron/ÇOKOHO!!, achei muito bacana. Vejo que me identifico mais com Master Judge do que com Master of Whisperers, então queria mudar minha opção de cargo. De qualquer maneira, assim como quase todo mundo, quero me envolver em todas as casas mas, principalmente, na Embaixada off-game e Recursos/Tesouro in-game. Óbvio que um PvP de vez em quando para relaxar - ou passar raiva - não faz mal :)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Excelente!

 

Conforme falei no meu post anterior, não sei se concordo exatamente com o fato de todos os Senhores/Lords (temos que escolher esses nomes asap) fazerem, automaticamente, parte do Conselho. Vamos pensar e ponderar direito isso. Vejo pontos negativos e positivos mas, principalmente, acho que, num futuro em que a guild tenha mais de 50, 60 membros, vai ser trabalho de mais, por exemplo, para um cara cuidar de toda a parte do craft, ainda dar uma moral no conselho, ajudando em questões não relacionadas ao seu ofício e tendo que falar o que fazer para 5, 10 pessoas diferentes. Não sei.

 

Em relação à explicação de cada Mestre/Master/Baron/ÇOKOHO!!, achei muito bacana. Vejo que me identifico mais com Master Judge do que com Master of Whisperers, então queria mudar minha opção de cargo. De qualquer maneira, assim como quase todo mundo, quero me envolver em todas as casas mas, principalmente, na Embaixada off-game e Recursos/Tesouro in-game. Óbvio que um PvP de vez em quando para relaxar - ou passar raiva - não faz mal :)

 

Quando eu imaginei o conselho pela primeira vez eu tinha pensado nisso: um grupo de poder que não está relacionado com as outras casas. Mas como você mesmo disse isso tudo vai mudar no decorrer do tempo. Quando tivermos mais pessoas e os cargos estiverem dando muito trabalho a gente pode separar as coisas, mas por enquanto não deve ser um problema.

 

Se o pessoal preferir (e não for gerar muito trabalho pra um grupo só) dá pra juntar o Tribunal e a Embaixada numa casa só. Separei os dois principalmente porque precisávamos de um número ímpar pra evitar empates em votações hahahaha. Se alguém pensar em uma outra função importante a gente troca, ou simplesmente tiramos e fazemos o voto do líder da guilda valer por dois dentro do conselho (totalizando 5 votos). Não é tão injusto assim ele ganhar essa regalia por ser líder. O que vocês acham?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Quando eu imaginei o conselho pela primeira vez eu tinha pensado nisso: um grupo de poder que não está relacionado com as outras casas. Mas como você mesmo disse isso tudo vai mudar no decorrer do tempo. Quando tivermos mais pessoas e os cargos estiverem dando muito trabalho a gente pode separar as coisas, mas por enquanto não deve ser um problema.

 

Se o pessoal preferir (e não for gerar muito trabalho pra um grupo só) dá pra juntar o Tribunal e a Embaixada numa casa só. Separei os dois principalmente porque precisávamos de um número ímpar pra evitar empates em votações hahahaha. Se alguém pensar em uma outra função importante a gente troca, ou simplesmente tiramos e fazemos o voto do líder da guilda valer por dois dentro do conselho (totalizando 5 votos). Não é tão injusto assim ele ganhar essa regalia por ser líder. O que vocês acham?

Acho que faz sentido manter as 5 casas distintas. Um exemplo é que no Song of Ice and Fire, o Small Council é composto por pessoas que não tem cargos e estão lá por motivos diferentes. E pode ser válido. Uma pessoa muito divertida, querida e séria da guild pode não ter interesse nas responsabilidades de uma casa especificamente mas ser um bom membro do Conselho. Algo desse tipo.

 

Se precisar, fico como o Mestre Interino da Embaixada caso ninguém mais queira e caso eu realmente consiga ser o Master Judge. Até mesmo por que, a Embaixada vai ter pouco trabalho antes do jogo realmente começar. Já o Judge vai começar a escrever um trambolho de coisas assim que tivermos um fórum próprio :D

Edited by BaSkA

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pessoal, só uma curiosidade. A assinatura de alguns de vcs está direcionando para o tópico antigo. B)

Obrigado.

 

[url=http://community.crowfall.com/index.php?/topic/5328-wildfire-brotherhood-wb-brazilian-guild-guilda-brasileira-brazil-brasil][img=http://i.imgur.com/alGxc9C.png]
[b]Guild PT/BR[/b][/url][/center]
Para quem quiser, essa é minha assinatura. Agora o link é para o novo, e correto, tópico.

 

Obrigado.

 

----------------------------------------------

 

Não acho necessário o Conselho ter mais que 5 pessoas, acho que afetaria a logística e acho que faria mais sentido se essas 5 pessoas fossem os Masters, justamente pelo fato de já estarem envolvidos pelo cargo e provavelmente serem mais qualificados, mas é totalmente positivo criar-se outros cargos para complementar os deveres e substituir o Master quando estiver ausente. Para se ter um balanceamento de poderes poderia-se dar o poder de expulsão e outros, além do Conselho, para os Membros Veteranos também, daí se convocaria uma nova votação para um novo cargo através do Conselho e os Membros poderiam vetar ou não, é só uma ideia, não sei se isso seria o ideal, o que quero dizer é que se for necessário podemos dar poderes aos Membros Veteranos também.

 

Pensando bem, acho que nem sequer faz sentido uma pessoa não querer ter um cargo, mas querer ser do Conselho, sendo que as decisões que o Conselho tomar vai afetar diretamente em algum dos setores.

A chave para fazer isso dar certo é balancear os poderes entre o Conselho e os Membros Veteranos, fazendo com que os Membros mais antigos também tenham seu valor político.

Acho que devíamos formular regras nesse sentido.

Edited by LucasRodrigues

Share this post


Link to post
Share on other sites

Para quem jogou Elder Scrolls IV e V... Enquanto vocês brigam pelos cargos eu vou na sombra da criação desse império e vou fundar The Dark Brotherhood muahahahahaahahah (claro, se eu decidir fazer o arqueiro). 

 

entendedores entenderão 

Todo mundo trazendo ideias, debatendo, decidindo e você chama isso de briga? Interessante sua definição de briga. Bom, espero que continuemos brigões.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Todo mundo trazendo ideias, debatendo, decidindo e você chama isso de briga? Interessante sua definição de briga. Bom, espero que continuemos brigões.

Na verdade, isso foi uma brincadeira '-'

E se você observasse meus posts no tópico antigo e acho que nesse também, você entenderia o que penso sobre o clan e o que acho sobre debater ideias. E sim, espero que o clan continue discutindo seu futuro, ficou satisfeito em ver isso, assim como já citei no passado.

 

Me desculpe se minha tentativa de "brincar" com o pessoal que jogou Elder Scrolls e por tentar fazer graça com os nomes similares do nosso clan e do clan de assassinos do jogo. Um abraço, flw

Share this post


Link to post
Share on other sites

Na verdade, isso foi uma brincadeira '-'

E se você observasse meus posts no tópico antigo e acho que nesse também, você entenderia o que penso sobre o clan e o que acho sobre debater ideias. E sim, espero que o clan continue discutindo seu futuro, ficou satisfeito em ver isso, assim como já citei no passado.

 

Me desculpe se minha tentativa de "brincar" com o pessoal que jogou Elder Scrolls e por tentar fazer graça com os nomes similares do nosso clan e do clan de assassinos do jogo. Um abraço, flw

 

Leia de novo e veja se quer uma vez citei alguma coisa sobre sua brincadeira, não, estava falando sobre o fato de você dizer que o que estamos fazendo é brigar por cargos.

Enfim, não dou a mínima, só achei curioso sua definição de "brigar", considere desculpado seja lá o que queira que eu aceite como desculpa.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Devido a minha natureza levemente masoquista me abstenho de cargos de liderança. :lol:

Como sou pilhado com organização fico feliz em ajudar em qualquer coisa, caso seja requisitado e esteja ao meu alcance. Adoro ficar procurando falhas em estratégias, então vou encher bastante o saco do Master Commander.

 

Com respeito ao conselho, concordo com o Lucas:

Não acho necessário o Conselho ter mais que 5 pessoas, acho que afetaria a logística e acho que faria mais sentido se essas 5 pessoas fossem os Masters, justamente pelo fato de já estarem envolvidos pelo cargo e provavelmente serem mais qualificados, mas é totalmente positivo criar-se outros cargos para complementar os deveres e substituir o Master quando estiver ausente.

 

No mais deixo uma pergunta.

Qual casa será responsável por espionagem(*) e contra inteligência? Dei uma olhada rápida a algum tempo atrás, e vi que há bastante brasileiros em uma ou duas guildas estrangeiras, o que pode facilitar um ataque interno por parte delas. Quem sabe já não exista "aliens" entre nós. Como naquele filme (Inception) a parte mais difícil é plantar uma pequena idéia, e quanto mais fundo vc vai, mas enraizada ela vai ser.

 

(* Não sei quanto a vcs, mas no futuro poderão haver jogares ingressantes que curtam "safadeza por trás das cortinas alheias". Como será nossa política quanto a isso? Será aceito "jogo sujo"?

 

EDIT: typo

Edited by hilkmkz

Share this post


Link to post
Share on other sites

Em terra de cego, quem tem olho é rei. Isso serve também pra espionagem e diplomacia. Ter visão sobre o que está por vir. Mas diria que o foco agora é construir a guild. Sobre os nomes dos cargos, Esquire(Squire) já significa alguém importante abaixo de cavaleiro.

Yeoman seria mais apropriado por ser um aspirante a cavaleiro de rank baixo. Isso é, se os títulos ficarem em inglês, pelo clima do jogo.

 

Edir: Acho que espionagem cairia numa subdivisão de diplomacia

Edited by Ranbouk

Share this post


Link to post
Share on other sites

Com respeito ao conselho, concordo com o Lucas:

 

No mais deixo uma pergunta.

Qual casa será responsável por espionagem(*) e contra inteligência? Dei uma olhada rápida a algum tempo atrás, e vi que há bastante brasileiros em uma ou duas guildas estrangeiras, o que pode facilitar um ataque interno por parte delas. Quem sabe já não exista "aliens" entre nós. Como naquele filme (Inception) a parte mais difícil é plantar uma pequena idéia, e quanto mais fundo vc vai, mas enraizada ela vai ser.

 

(*) Não sei quanto a vcs, mas no futuro poderão haver jogares ingressantes que curtam "safadeza por trás das cortinas alheias". Como será nossa política quanto a isso? Será aceito "jogo sujo"?

 

EDIT: typo

Concordo com o Rabouk quanto à casa da espionagem, isso pra mim se enquadra na jurisdição da diplomacia.

 

Quanto ao jogo sujo, Tyrion uma vez disse: Eddard Stark era um homem honrado e agora ele está morto. Sou completamente a favpr do jogo sujo, das mentiras, da manipulação e traição desde que façamos direito.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Leia de novo e veja se quer uma vez citei alguma coisa sobre sua brincadeira, não, estava falando sobre o fato de você dizer que o que estamos fazendo é brigar por cargos.

Enfim, não dou a mínima, só achei curioso sua definição de "brigar", considere desculpado seja lá o que queira que eu aceite como desculpa.

Briga, Conflito, Discussão, Debate. Preciso ajeitar minhas palavras para lhe agradar?

 

Enfim, não considere desculpado, sinceramente, vou falar porque sou bem direto e não vou alastrar mais. Eu não gostei da sua reação sem nem pensar um pouco e muito menos pediria desculpas para alguém que diz que "Não dou a minima, (...) considere desculpado." Enfim, vou terminar o assunto aqui, pois, nunca pensei que eu teria alguma intriga (de qualquer forma, tipo, maneira) aqui. Assunto fechado. 

 

Part 2

 

Para quem tava conversando sobre como definir os postos dentro da guilda, para formar uma hierarquia: 

-Rei ->Arquiduque->Duque->Marquês->Conde->Barão->Cavaleiro->Escudeiro.

 

Um jeito interessante seria colocar a mudança da posição em relação ao tempo na guilda. Primeiro porque isso vai fazer o pessoal ser mais "presente" e depois porque é fácil a "casa" administrar as pessoas que ficam um bom tempo sem participar. Tomara que tenha um sistema semelhante a Dragon Nest na guilda, que mostrar o tempo que o povo fica sem logar. 

 

Não coloquei o conselho ali em cima, mas acho que é obvio que será necessário. Essas posições podem ser dadas para os membros que escolherem cada casa e acho elas legais, mesmo sendo em português. 

 

Part 3

 

Agora, um pouco sobre mim. 

 

Nome/Nickname: Evandro Ferreira de Araujo Costa Netto / Vands - Vaands - Daotsuki - Halt

Idade: 22

Experiência: Comecei jogando jogos de mesa, D&D, Vampira a Mascara e etc.

 

-Conquer: Joguei por uns meses quando criança, o jogo nunca conseguiu me prender e depois que cansei de pular de um lado para o outro, dropei. -Ragnarok: O jogo que mais marcou minha vida, anos de diversão e ainda joguei no servidor privado do Xilero. -RF Online: Um ótimo jogo que foi destruído por uma péssima empresa, larguei só quando começou a chuva de hack no servidor. -Priston Tale: Depois de Ragnarok, foi um jogo que apesar dos gráficos, me fez perder varias noites de sono. -MU Online: Não posso dizer que me envolvi muito, joguei por pouco tempo, foi divertido no começo mas quando peguei o level cap, não achei mais o que fazer. -Iris Online: O jogo que fez minha namorada jogar comigo xD. Bom jogo porque conseguiu misturar bem o PVE e PVP. Brigas épicas por monstros globais enquanto o resto da guilda segurava as outras para conseguirmos matar a tempo e ficar com o loot. Depois, joguei no servidor BR e representei a guilda em todos os eventos que precisavam de um tank, como no caso da "guilda que mata o world boss com maior velocidade", foi uma otima experiencia.-Dragon Nest: Foi o jogo que me fez gostar de Action MMO, fiquei viciado, as dungeons eram muito divertidas e as raids para matar os dragões eram uma emoção do começo ao fim, ainda tenho meu assassino la, mas parei porque minha guilda ficou desativa e quem sobrou foi para outras. -Spiral Knights: Bem divertido para passar o tempo, parece um jogo de DS, onde você tem apenas que desenvolver seus equipamentos em vez do level, acho que o pessoal do craft iria gostar dele. -Wakfu: Eu gosto de Final Fantasy Tatics, então, eu amei esse jogo. Ótimo sistema de cash shop, não existia P2W. O jogo é de turno e mesmo assim o pvp foi mais emocionante que em muitos jogos. -Dota: Joguei bastante até, mas quando as atualizações pararam na época, o jogo ficou abandonado na sua versão atual e acabou sem graça, e e meus amigos saímos e agora jogamos LOL. -Aurga Kingdom: Foi nesse jogo, no servidor internacional que eu descobri como realmente deveria ser uma guilda, algo que já citei no antigo tópico sobre como espero que nossa guilda se comporte. Achei o jogo bem colorido, mas foi interessante, no entanto, mais para frente, o jogo ficou bem repetitivo e as coisas divertidas que aconteciam apenas no sábado e domingo, não batiam com o tempo que eu passava com minha namorada, querendo ou não, tive que dar um tempo e fui diminuindo o ritmo até parar de jogar. E claro, WOW: joguei até o lançamento do litch king, parei um pouco e voltei no pandaren, não fiquei muito tempo, mas foi diveritdo upar um panda. 

 

Ps: Não vou citar Ragnarok the Legend of The Second.... Porque é tipo: "Tem um pouco de jogo no seu BUG" e não tem nada haver com rag... Rezando para que Tree of Savior venha para resolver essa situação. . 

 

Esses foram os MMO que joguei e que to me lembrando no momento. Isso tudo foi dos meus 8 anos até minha idade atual. No momento, comecei a jogar Wild Star e agora que estou no 26, então não posso falar muito dele, mas, gostei do sistema de hologramas. 

 

Tirando meus jogos online, sempre fui viciado em RPG, seja action ou de turno, devo ter jogado quase todos do ps1, ps2 e agora to nos do ps3. Amo muito os jogos da Nintendo, já que ela fez parte da minha infância. Vou citar alguns como exemplo: persona( III, IV), final fantasy V ao XIII (falta o lightining returns) Tales of (todos da serie), Monster Hunter III, Pokemon (do red ao remake da Ruby), Zelda (orgulhoso em dizer, todos! menos o remake do majoras, não consegui colocar minhas mãos nele ainda). E mais uma infinidade de jogosssssssssssss. 

Cargo: Nenhum. Desde que entrei na faculdade, eu tenho dificuldade para administrar cosias como ser lider de clan ou ser a mão direita .Agora que cheguei no 5º período de Direito eu estou um pouco mais tranquilo para jogar MMO de novo e tive a sorte de encontrar o CF. Eu gosto de me especializar em ser Tank ou um pouco hibrido virado mais para esse lado, então provavelmente vou querer fazer parte do exercito, no entanto, em alguns casos eu escolho classes como assassino e arqueiro e eu ainda estou ponderando sobre o caso, então, ainda não decidi se vou pra espionagem ou para o exercito.  

 

Por que devo ser escolhido: Eu não devo ser, mas acredito que as pessoas em sua maioria que se candidataram, pelo tempo que conversamos aqui e por coisas como maturidade, experiencia de vida e organização, estão mais que qualificadas para serem escolhidas. Se alguém quiser ajuda com algo, pode chamar, um abraço ai. 

Edited by Vaands

Share this post


Link to post
Share on other sites

Briga, Conflito, Discussão, Debate. Preciso ajeitar minhas palavras para lhe agradar?

 

Enfim, não considere desculpado, sinceramente, vou falar porque sou bem direto e não vou alastrar mais. Eu não gostei da sua reação sem nem pensar um pouco e muito menos pediria desculpas para alguém que diz que "Não dou a minima, (...) considere desculpado." Enfim, vou terminar o assunto aqui, pois, nunca pensei que eu teria alguma intriga (de qualquer forma, tipo, maneira) aqui. Assunto fechado. 

 

Part 2

 

Para quem tava conversando sobre como definir os postos dentro da guilda, para formar uma hierarquia: 

-Rei ->Arquiduque->Duque->Marquês->Conde->Barão->Cavaleiro->Escudeiro.

 

Um jeito interessante seria colocar a mudança da posição em relação ao tempo na guilda. Primeiro porque isso vai fazer o pessoal ser mais "presente" e depois porque é fácil a "casa" administrar as pessoas que ficam um bom tempo sem participar. Tomara que tenha um sistema semelhante a Dragon Nest na guilda, que mostrar o tempo que o povo fica sem logar. 

 

Não coloquei o conselho ali em cima, mas acho que é obvio que será necessário. Essas posições podem ser dadas para os membros que escolherem cada casa e acho elas legais, mesmo sendo em português. 

 

Part 3

 

Agora, um pouco sobre mim. 

 

Nome/Nickname: Evandro Ferreira de Araujo Costa Netto / Vands - Vaands - Daotsuki - Halt

Idade: 22

Experiência: Comecei jogando jogos de mesa, D&D, Vampira a Mascara e etc.

 

-Conquer: Joguei por uns meses quando criança, o jogo nunca conseguiu me prender e depois que cansei de pular de um lado para o outro, dropei. -Ragnarok: O jogo que mais marcou minha vida, anos de diversão e ainda joguei no servidor privado do Xilero. -RF Online: Um ótimo jogo que foi destruído por uma péssima empresa, larguei só quando começou a chuva de hack no servidor. -Priston Tale: Depois de Ragnarok, foi um jogo que apesar dos gráficos, me fez perder varias noites de sono. -MU Online: Não posso dizer que me envolvi muito, joguei por pouco tempo, foi divertido no começo mas quando peguei o level cap, não achei mais o que fazer. -Iris Online: O jogo que fez minha namorada jogar comigo xD. Bom jogo porque conseguiu misturar bem o PVE e PVP. Brigas épicas por monstros globais enquanto o resto da guilda segurava as outras para conseguirmos matar a tempo e ficar com o loot. Depois, joguei no servidor BR e representei a guilda em todos os eventos que precisavam de um tank, como no caso da "guilda que mata o world boss com maior velocidade", foi uma otima experiencia.-Dragon Nest: Foi o jogo que me fez gostar de Action MMO, fiquei viciado, as dungeons eram muito divertidas e as raids para matar os dragões eram uma emoção do começo ao fim, ainda tenho meu assassino la, mas parei porque minha guilda ficou desativa e quem sobrou foi para outras. -Spiral Knights: Bem divertido para passar o tempo, parece um jogo de DS, onde você tem apenas que desenvolver seus equipamentos em vez do level, acho que o pessoal do craft iria gostar dele. -Wakfu: Eu gosto de Final Fantasy Tatics, então, eu amei esse jogo. Ótimo sistema de cash shop, não existia P2W. O jogo é de turno e mesmo assim o pvp foi mais emocionante que em muitos jogos. -Dota: Joguei bastante até, mas quando as atualizações pararam na época, o jogo ficou abandonado na sua versão atual e acabou sem graça, e e meus amigos saímos e agora jogamos LOL. -Aurga Kingdom: Foi nesse jogo, no servidor internacional que eu descobri como realmente deveria ser uma guilda, algo que já citei no antigo tópico sobre como espero que nossa guilda se comporte. Achei o jogo bem colorido, mas foi interessante, no entanto, mais para frente, o jogo ficou bem repetitivo e as coisas divertidas que aconteciam apenas no sábado e domingo, não batiam com o tempo que eu passava com minha namorada, querendo ou não, tive que dar um tempo e fui diminuindo o ritmo até parar de jogar. E claro, WOW: joguei até o lançamento do litch king, parei um pouco e voltei no pandaren, não fiquei muito tempo, mas foi diveritdo upar um panda. 

 

Ps: Não vou citar Ragnarok the Legend of The Second.... Porque é tipo: "Tem um pouco de jogo no seu BUG" e não tem nada haver com rag... Rezando para que Tree of Savior venha para resolver essa situação. . 

 

Esses foram os MMO que joguei e que to me lembrando no momento. Isso tudo foi dos meus 8 anos até minha idade atual. No momento, comecei a jogar Wild Star e agora que estou no 26, então não posso falar muito dele, mas, gostei do sistema de hologramas. 

 

Tirando meus jogos online, sempre fui viciado em RPG, seja action ou de turno, devo ter jogado quase todos do ps1, ps2 e agora to nos do ps3. Amo muito os jogos da Nintendo, já que ela fez parte da minha infância. Vou citar alguns como exemplo: persona( III, IV), final fantasy V ao XIII (falta o lightining returns) Tales of (todos da serie), Monster Hunter III, Pokemon (do red ao remake da Ruby), Zelda (orgulhoso em dizer, todos! menos o remake do majoras, não consegui colocar minhas mãos nele ainda). E mais uma infinidade de jogosssssssssssss. 

Cargo: Nenhum. Desde que entrei na faculdade, eu tenho dificuldade para administrar cosias como ser lider de clan ou ser a mão direita .Agora que cheguei no 5º período de Direito eu estou um pouco mais tranquilo para jogar MMO de novo e tive a sorte de encontrar o CF. Eu gosto de me especializar em ser Tank ou um pouco hibrido virado mais para esse lado, então provavelmente vou querer fazer parte do exercito, no entanto, em alguns casos eu escolho classes como assassino e arqueiro e eu ainda estou ponderando sobre o caso, então, ainda não decidi se vou pra espionagem ou para o exercito.  

 

Por que devo ser escolhido: Eu não devo ser, mas acredito que as pessoas em sua maioria que se candidataram, pelo tempo que conversamos aqui e por coisas como maturidade, experiencia de vida e organização, estão mais que qualificadas para serem escolhidas. Se alguém quiser ajuda com algo, pode chamar, um abraço ai. 

 

Espere chegar ao final docurso hehehe.

 

Estou me formando esse ano. Só comprei o jogo pois vai ser lançado ano que vem.

 

 

Aproveitando a deixa:

 

Eu não quero me candidatar ao cargo de "Judiciário'', mas ofereço total apoio na parte técnica. Já trabalhei com essas coisas e é a minha área de estudo na faculdade (já tinha dito acho, resolução de conflitos).

 

 

E um conselho.

 

Depende do tamanho da guilda.

Por experiência própria trabalhando com associações e fazendo mediação - é sempre bom ter mais de um órgão controlador.

Um conselho de ''nobres'' e um conselho menor, em uma guilda com 100 pessoas, me parece uma boa.

 

Cinco pessoas elegem um líder, que tem o poder de veto nas decisões não unanimes. 

E um conselho menor, ''pau para toda obra'', que tem como função ajudar o líder e os conselheiros nas questões pontuais.

 

Em outras palavras:

 

GM, Mestres, Oficiais.

 

É interessante ter pelo menos um oficial para cada 10-20 players.

 

Os Mestres de cada Casa não terão tempo para pessoalmente cuidar de cada pessoa individualmente, o que pode levar a panelinhas do tipo ''ah, quando fulano pede...o cara atende''.

 

Somos humanos, é bom cobrir erros em potencial.

 

A existência de um conselho menor para executar as ordens do líder e do conselho maior é algo que faz com que cada membro do grupo tenha alguém com poder ''decisório'' para resolver seus problemas.

 

Tu não precisa esperar a requisição direta do Mestre dos Recursos para pegar X de madeira durante a campanha. Tu pode pedir para o Oficial de Requisições. 

Tu não precisa pedir para o Mestre da Diplomacia especificamente sobre uma aliança temporária com uma guilda durante uma raid. Tu pode pedir para um diplomata e ele responde depois para o Mestra da Diplomacia, conforme o previamente acordado.

 

E por ai vai.

 

Em uma guilda com 100 players, um líder, cinco ministros e uns 10 membros do conselho menor com poderes limitados (oficiais de fato)...me parece uma composição adequada.

 

A medida que a guilda vai aumentando, tu vai promovendo os membros veteranos para ocuparem funções no conselho menor. 

 

 

 

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Por isso acho interessante que não necessariamente os 5 membros do Conselho sejam os Masters de cada ofício/casa.

Dessa forma, podemos ter, por exemplo, 10 pessoas diferentes com mais poder de decisão dentro da Guild (5 Council Members + 5 Masters).

 

EDIT: A cada dia que passa o OP do nosso tópico está mais bonito! Já já podemos colocar la nosso esquema de lideres, posicoes, ranks internos (com os nomes decidos, em português ou não), etc. 

 

Contando os dias para o site. Quero escrever muito pra já ir acostumando com o TCC :D.

 

 

Eu não quero me candidatar ao cargo de "Judiciário'', mas ofereço total apoio na parte técnica.

 

Espero que eu possa ser o responsável por escrever a "constituição" da guild (as regras hu3) e você será invocado, caro Finn.

Edited by BaSkA

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.


  • Recently Browsing   0 members

    No registered users viewing this page.

×
×
  • Create New...